Ajustando a frequência


E os trabalhos de preparação para a chegada do 5G no Brasil seguem firmes e fortes. O Diário Oficial da União da quinta-feira (16) apresentou a Consulta Pública nº 25, que está definindo o regulamento a ser aplicado para as Condições de Uso da Faixa de Freq seuência de 2,3 GHz, querá destinada apenas à transmjissão dos sinais dessa nova tecnologia.


Então o 5G está chegando?


A resposta de agora seria: não. O movimento atual quer dizer que o Brasil está arrumando a casa para receber a nova frequência de internet ultrarrápida sem que haja confusão. Isso porque, das estações licenciadas que atualmente usam a 2,3 GHz, 67% são repetidoras de TV ou serviços auxiliares de radiodifusão, e apenas 32% prestam o serviço de banda larga fixa. Ou seja: uma galera vai ter que pegar o seu banquinho e se mudar para outro local. Por isso, a consulta existe para que todas as partes determinem em conjunto como isso pode ser feito de uma forma que atrapalhe menos a vida das pessoas.


Coração de mãe


A consulta atual propõe que, além das empresas de telefonia e banda larga, a frequência esteja disponível para os participantes do Serviço Limitado Privado (SLP),  que permite a comunicação por voz e dados para quem atua em serviços vitais, como companhias de transporte, energia e petróleo. O documento também pretende debater a necessidade de um órgão ou departamento que coordene os possíveis impassesentre as empresas que vão utilizar a 2,3 GHz.


As contribuições para essa fase serão recebidas no Sistema Interativo de Acompanhamento de Consulta Pública (SACP) no prazo de 30 dias e podem ser feitas por carta, fax ou correspondência eletrônica. Vulgo email.

MATERIAIS GRATUITOS

MORSE YEARBOOK

Veja o que o futuro da tecnologia mobile reserva para os próximos anos.

RECEBA NOSSO CONTEÚDO