Da farmácia para a AdTech


CVS está preparando o lançamento de ad network própria (Digiday) A rede norte-americana de farmácias está preparando uma rede de ads própria chamada “CVS Media Exchange”. Segundo fontes escutadas pelo Digiday, a rede vai oferecer ads no seu e-commerce, bem como nas lojas físicas e também para seus usuários online. A companhia entendeu a partir dos dados gerados por usuários de seus programas de fidelidade que é possível ter uma audiência fiel a marcas e também um espaço para ads. 


Fundo Colony Capital compra Diveo do UOL (Baguete) O fundo de investimentos americano Colony Capital comprou a operação de data center do UOL, conhecida como UOL Diveo, a partir da qual está montando um novo player no mercado brasileiro, a Scala Data Centers. A transação avalia os ativos entre US$ 300 milhões e US$ 400 milhões, de acordo com uma pessoa com conhecimento do assunto que pediu para não ser identificada.


Facebook lança ferramenta de videocall para rivalizar com Zoom (Axios) Messenger Rooms tem espaço para 50 pessoas na videocall, enquanto isso, o Zoom indicou que chegou a 300 milhões de usuários no mundo - 100 milhões a mais do que no mês passado.


Facebook compra 10% da indiana Jio nesta semana por US$ 5,7 bilhões (NYT) Na maior compra de Mark Zuckerberg desde o Instagram, a rede social investiu bilhões para ter participação de 9,99% em operadora indiana. A primeira ação das duas empresas juntas será oferecer o WhatsApp para marketplace de comerciantes da Jio. 


Netflix tem aumento de 15,8 milhões de assinantes no primeiro trimestre (The Verge) Eles chegaram a 182 milhões de usuários pagantes no mundo. Para vocês terem uma ideia, o serviço de streaming esperava alta de 7,2 milhões de assinantes nos primeiros três meses de 2020. Segundo a companhia, a quarentena contra o Covid-19 estimulou a procura dos usuários pelo streaming de filmes e séries, mas isso deve diminuir nos próximos meses. Falando em alta de usuários durante a quarentena, o Snapchat teve alta de 20% no número de usuários ativos diários.


Startups de dados brasileiras ganham espaço durante quarentena do Covid-19 (O Globo) Inteligência de dados via smartphones se torna essencial para o controle da doença e também para o planejamento para a retomada da economia.


Amazon usou dados de produtos vendidos no site para criar marcas próprias  (Wall Street Journal) Segundo reportagem do WSJ, a gigante do e-commerce teria usado dados de vendas para criar os seus próprios produtos. A questão é que tal uso de Big Data iria contra as regras que a própria Amazon criou para atrair os vendedores no site. A própria criação de novos produtos com a marca Amazon levava em conta quais eram os objetos mais comprados no site, bem como quais eram as características dos produtos mais buscados no site.


McDonald’s e Starbucks farão parte dos testes oficiais de moeda digital na China (CNBC) As empresas vão participar do projeto do governo chinês em criar o yuan digital. As empresas, conhecidas por suas operações digitais, deverão aceitar o “cripto-yuan” emitido pelo banco central chinês.


Apple e Google detalham sistema para detectar Covid a partir do smartphone (Reuters) O planejamento ainda é lançar a plataforma em maio. O sistema vai usar a tecnologia Bluetooth para que autoridades criem aplicativos que alertem as pessoas que estiveram próximas de quem testou positivo para o novo coronavírus. O tempo de monitoramento dos aparelhos será de aproximadamente cinco minutos.


Governo aprova lei que autoriza a telemedicina no Brasil (Startupi) A telemedicina consiste no exercício da medicina por meio de tecnologias e é uma alternativa para manter o distanciamento de pacientes, além de ajudar a não sobrecarregar os leitos hospitalares. O recurso também possui outras vantagens, como segurança e humanização dos atendimentos.

It's Data Time

  • 48% dos brasileiros devem voltar a comprar roupas em menos de três meses (Ibope)

  • 76% dos usuários informaram que estão usando mais o celular durante a pandemia; 57% afirmaram estar vendo mais streaming de vídeo (WeSocial)

MATERIAIS GRATUITOS

MORSE YEARBOOK

Veja o que o futuro da tecnologia mobile reserva para os próximos anos.

RECEBA NOSSO CONTEÚDO