Data: the new oil or the new water?



Muita gente já ouviu o termo “Data is the new oil”, atribuído à Clive Humby em 2006, mas com diversas outras citações ao longo do tempo.

“Really the new oil?”

Qual seria o efeito em cadeia de uma crise de Dados no mundo? O mesmo, maior ou menor que uma crise de combustível? Em quantos dias, quem sabe minutos, empresas seriam afetadas? Mercados? Segmentos e a própria Economia? Teríamos uma paralisação?

Literalmente falando

Na economia digital, com certeza, uma crise dessas seria sentida de imediato. Pedir um táxi, reservar uma passagem aérea, pedir comida em casa e outras atividades entrariam em colapso em questão de minutos. Por outro lado, a comparação de “data” com “oil” pode trazer uma falsa sensação de que qualquer dado, por si, vale dinheiro.


Se um dia você descobrir que existe uma fonte de petróleo no jardim da sua casa, vai achar que “seus problemas acabaram”. Se um dia você descobrir que existe um monte de dados dentro da sua empresa, será que você fica rico do dia pra noite?

Um mar de dados

O dado sozinho, sem estar dentro de um contexto, de uma análise, ou de algo maior, possui valor? Esse valor é tabelado? Quanto vale 1TB de dados? Na verdade, os dados estão por aí e, assim como a água, formam um verdadeiro oceano. Mas ele não necessariamente possui valor sozinho ou pode ser utilizado na sua forma bruta para todos os fins. É a sabedoria no uso, no tratamento e no seu reúso que vão criando seu valor.

MATERIAIS GRATUITOS

MORSE YEARBOOK

Veja o que o futuro da tecnologia mobile reserva para os próximos anos.

RECEBA NOSSO CONTEÚDO