Google segue Apple em privacidade

/What's Up? O que agitou os últimos dias em nosso mercado


01/ Google vai exigir “rótulo de dados” de apps em PlayStore O Google vai começar a exigir que aplicativos informem quais dados coletam dos usuários já na PlayStore. A notícia veio do The Verge, que comentou que a novidade deve chegar às lojas de app do Google apenas no ano que vem. A Big Tech, no entanto, quer dar espaço para os desenvolvedores darem algum contexto para explicar por que usam ou captam certos dados. Em outras palavras, o Google está imitando a Apple, que colocou suas novas regras de privacidade para rolar nessa semana (e, como muitos do mercado esperavam, os resultados estão sendo bem negativos para os desenvolvedores de app, com baixa taxa de opt-in por parte dos usuários - apenas 13%). Agora vale saber se as regras do “rótulo de dados” vão valer também, e da mesma forma para os próprios Apps do Google.


02/ TIM quer fazer conta digital com todas as operadoras A TIM, que testou as águas de fintech na parceria com o banco C6, pretende criar uma conta digital para fornecer aos seus clientes pré-pagos. Falamos aqui sobre a Oi e a Claro estarem seguindo o mesmo caminho. O que a TIM quer fazer, no entanto, é propor uma plataforma aberta para receber também outras operadoras. A parceria com o C6 Bank segue em pé.


03/ Walmart compra site de medicina à distância e finca o pé em Health A companhia comprou a MeMD, provedora de serviços de telemedicina, e planeja oferecer serviços de saúde para os Estados Unidos. Sim, se você já leu algo parecido é porque leu mesmo: a Amazon fez algo parecido, criou o Amazon Care. Nessa semana, a Amazon Care, inclusive, fechou o primeiro contrato para fornecer serviços de saúde para uma empresa. Já comentamos aqui, mas o setor de Health é a próxima grande fronteira das Big Techs.


04/ Signal acusa Facebook de tirar um de seus ads do Instagram A gente gosta de uma boa briga no mundo de tecnologia (#peguemaspipocas) e, na última semana, o aplicativo de mensagens criptografadas Signal acusou o Instagram de retirar do ar uma campanha que eles tinham posto no app. O que dizia a campanha? Bem, basicamente listava a quantidade de dados que o Facebook e o Instagram - e o WhatsApp, rival direto do Signal - estavam captando dos usuários. Do outro lado, o FB fala que tal anúncio nunca apareceu no sistema do Instagram.



/Following Up Novidades dos assuntos que já temos acompanhado por aqui


05/ Netflix vai virar o Facebook? Antes um lugar para fugir das redes sociais, agora a Netflix quer se tornar uma rede social. A empresa está fazendo pesquisas para criar o chamado N-Plus. A ideia da vez busca manter o usuário conectado em um só espaço fornecendo o mesmo papel de outras redes sociais, onde o usuário pode publicar conteúdo, interagir e se informar. A pergunta é: eles vão conseguir fazer as pessoas gastarem ainda mais tempo dentro do serviço de streaming?


06/ Mais tempo no TikTok do que em filme. Pode isso?! O tempo é realmente um bem precioso e está sendo disputado pelas empresas digitais. Já até falamos disso recentemente. Segundo o TikTok, os usuários passam mais tempo vendo microvídeos em seu app do que um filme de longa metragem todos os dias. Pesquisa da Kantar mostrou que 30% dos usuários ativos do app assistem menos a TV ou streaming depois que começam no loop de vídeos do TikTok. Falando no app, eles estão para lançar uma feature que pode aumentar ainda mais o seu poder: o de login para outros apps!


07/ WhatsApp Pay chega ao varejo no segundo semestre Os próximos passos do serviço de pagamento do WhatsApp no Brasil já estão traçados: se tornar um meio de envio e recebimento de dinheiro para o varejo. De acordo com o Estadão, o Facebook fechou parceria com a Rede e com o Cielo para se tornar uma solução de pagamento para empresas. Ao contrário do pagamento P2P lançado nesta semana, o para empresas deverá ter uma taxa. Outra notícia do app: eles cancelaram o prazo para que os usuários aceitassem aquela polêmica mudança de regra de privacidade. Ufa! :)


08/ Todo mundo quer pagar para ter conteúdo agora Depois do Facebook e do Spotify, agora é a vez do YouTube e do Clubhouse. A rede social de vídeos do Google vai pagar US$ 7 milhões para trazer jornalistas independentes para a plataforma. Já o CH (que lançou seu app na Google Play neste final de semana!) vai investir em 50 programas de áudio piloto (hey, nem todo programa de áudio é podcast) vindo diretamente dos principais criadores da plataforma. Ah, e o Twitter lançou oficialmente o Tip Jar, que permite que usuários paguem um “trocado” para os criadores de conteúdo.


/Coming Up Radar do Morse sobre novas tendências, produtos e serviços

09/ Amazon e Apple estão construindo uma rede vasta de Wireless - baseada em seus próprios devices As empresas estão transformando os seus devices em pequenos acessos de wi-fi para conectar com outros sensores de internet. A Apple lançou as AirTags e a Amazon anunciou que expandiu a rede Sidewalk, projetado para que os dispositivos inteligentes da Big Tech conversem entre si. Num primeiro momento, a ideia é que um dispositivo consiga “compartilhar” a banda de rede entre si.


10/ B2W aumenta aposta em live commerce A companhia fez uma parceria com a OOOOO (para ajudar, se fala “U”), plataforma de live commerce e social commerce que se tornou o app mais baixado na Inglaterra nos últimos meses. A B2W disse que vai lançar o app da OOOOO no Brasil e integrá-lo com seu sortimento e os sellers de seu marketplace. No ano passado, a B2W lançou sua plataforma de lives, a Americanas Ao Vivo.


11/ As bebidas chegam voando Uma cerveja caindo do céu bem geladinha? Isso já pode acontecer! A Ambev realizou, na semana passada, o primeiro teste de um serviço de delivery usando drones. O projeto foi criado em parceria com a startup Speedbird Aero - o acordo com a empresa foi assinado no mês passado. O trajeto de dois quilômetros foi feito em menos de 2 minutos! Será que chega no Zé Delivery?


12/ Xiaomi quer crescer no vácuo da LG no Brasil A LG mal saiu do mercado de smartphones e a Xiaomi já está de olho nos 12% de share que a coreana tem no Brasil. A marca mudou suas estratégias e está contando com a integração do ecossistema AIoT (Artificial Inteligence of Things) em seus smartphones para se tornar o novo "LG K".

/Fighting Up Update dos movimentos das big techs, concorrentes e reguladores na briga por dados, audiências e capacidade de monetização

13/ Epic Games x Apple: a quantas anda o julgamento No final da primeira semana de julgamento da Epic Games contra a Apple na corte norte-americana, muito foi discutido e ainda está tudo muito obscuro. A Apple comentou que a Epic Games queria que eles se tornassem o Android, enquanto a Epic tentou bater o martelo falando sobre como o sistema de pagamentos da App Store não é positivo para os pequenos desenvolvedores. No momento, a Apple tenta invalidar um depoimento da Microsoft em favor da Epic, uma bagunça só. O julgamento seguirá pelas próximas duas semanas.


/Cashing Up Deals que movimentam o mercado*

*(O Cashing Up é apoiado por Divibank, uma solução inovadora e criativa para empresas em busca de financiamento com foco em growth)


14/ Twitter compra a Scroll, serviço por assinatura que retira ads de páginas O Scroll é um serviço de assinatura que remove anúncios e deixa as páginas de notícia o mais “clean” possível. E, não, não estamos falando de um adblocker. O Scroll divide uma parte da assinatura que recebe com os websites participantes e, assim, “banca” a retirada dos ads das páginas - uma forma diluída dos usuários pagarem pelo conteúdo que veem na internet. Ele, basicamente, usa os cookies para não entregar ads para os usuários, mas para entregar dinheiro para os sites parceiros - como BuzzFeed e The Atlantic. O Twitter, que comprou a Revue, está mesmo investindo nesses modelos de monetização “alternativas”.


15/ Investimentos em startups brasileiras totalizam US$ 2,3 bilhões em 2021 Segundo o Distrito, esse valor foi atingido nos primeiros quatro meses do ano - e já equivale a cerca de 70% do total investido em todo o ano de 2020. O crescimento é de quase 200% em comparação com o investido no mesmo período. Fintechs, protechs e retailtechs lideram os segmentos de maior aporte!


16/ Kahoot compra Clever por US$ 500 milhões A popular empresa que cria testes, games e quizzes online (e Mobile) para o setor de educação comprou a Clever, uma startup que criou um portal único para educadores, estudantes e familiares engajarem em salas online. O pulo do gato? A Clever é voltada para o mercado de educação infantil e para escolas que querem digitalizar seus processos. A operação ficou em torno de US$ 500 milhões.


17/ Alt.bank recebe investimento de US$ 5,5 milhões Startup que oferece conta digital, cartão de débito e serviço de saúde voltados para população de renda mais baixa recebeu aporte da Union Square Ventures, que já investiu no Twitter e no Coinbase. Esse é o primeiro investimento da Union Square no Brasil.




MATERIAIS GRATUITOS

MORSE YEARBOOK

Veja o que o futuro da tecnologia mobile reserva para os próximos anos.

RECEBA NOSSO CONTEÚDO