Magalu compra Kabum





A Magazine Luiza fez a maior aquisição da sua história, superando até a compra do Netshoes. Por R$ 3,5 bilhões (o valor completo da operação, contando aqui com as parcelas em dinheiro e em ações), a empresa comprou o site de e-commerce Kabum, especializado em hardware, linha gamer, eletrônicos, smart home e smartphones.Talvez essa informação seja uma surpresa por conta do preço, mas o segmento não é novo para a Magalu. A empresa comprou a Jovem Nerd em abril pensando nas estratégias digitais, mais especificamente falando do MagaluAds e o Magalu as a Service.


E a Kabum? Só para entender que caminho vamos percorrer: a Kabum é a maior plataforma de e-commerce de games e tecnologia do Brasil. Essa nova aquisição vai ser um complemento com a Jovem Nerd e a Canaltech favorecendo para uma experiência de compra, conteúdo e entretenimento completa para clientes interessados em tecnologia e no mundo gamer.


A Magalu já colheu alguns dos frutos do seu investimento e depois da compra bilionária, a empresa teve sua maior alta na Bolsa de Valores, crescendo 3,45%. E pensa em fazer um follow on e distribuir R$150 milhões de novas ações ordinárias para trabalhar sua expansão logística, investimentos em tecnologia e aquisições estratégicas.



Todo mundo quer games


Falando em estratégias, essa compra veio em um momento em que a gigante do streaming Netflix mira o segmento gamer e no mesmo momento que o Mercado Livre está investindo no mercado de eletrônicos e informática.


A Netflix, recentemente, já deu até uma deadline de quando isso vai acontecer, e está previsto para 2022. O novo gênero de programação é bem parecido com os documentários ou especiais de stand-up que a empresa de streaming já faz. Essa jogada da Netflix deixa ela com um diferencial de suas concorrentes e caminha para ganhar uma fatia para competir e ampliar sua receita em outro setor.


Já pegando o barco andando temos a Microsoft que mesmo inserida no mundo game está trabalhando em seu serviço de streaming de jogos que tenha compatibilidade com o console Xbox e seja usado por Smart TVs sem necessidade de hardware extra. Isso tudo precisando apenas de um controle.


E para finalizar, não podemos esquecer da Globo que fez spin-off de sua divisão de eSports e games e passou a ser chamada de Player 1 Gaming Group. A startup vai seguir o foco para escalar o negócio D2C (direct-to-consumer) concentrando no consumidor altamente engajado. Lembrando que essa não é a primeira investida da empresa no segmento, a verdade é que ela tenta um espacinho no mundo gamer desde os anos 90.


O porquê?


Em 2020, segundo a Visa, as transações em plataformas de jogos cresceram 140%. Se comparar 2019 com 2020 temos um aumento do faturamento de 12% no mercado de games. Pensando no futuro, a expectativa nesse segmento é de ultrapassar US$ 200 bilhões até 2023. Agora deu para entender o interesse das empresas na área, né? Pensando também em público, em expectativas para o mesmo ano, o número global de jogadores ultrapassará a marca de três bilhões. Mas se ainda há dúvidas: com faturamento de US$ 159,3 bilhões, o mercado de videogames já é maior que o do cinema e o da música juntos.


MATERIAIS GRATUITOS

MORSE YEARBOOK

Veja o que o futuro da tecnologia mobile reserva para os próximos anos.

RECEBA NOSSO CONTEÚDO