O CEO que uniu Google e Facebook

A viagem do Ghost Interview de hoje foi longa, mas tivemos alguns bilhões de motivos para ela. Mais especificamente, 21 bilhões de motivos. Esta foi a quantidade de dólares que Facebook, Google, Qualcomm e outras gigantes investiram na indiana Jio Platforms, companhia de telecomunicações e serviços digitais de Mukesh Ambani, apenas nos últimos meses. O Ghost não podia ser com outra pessoa.


Ambani foi o responsável por abrir o caminho da telecom para a Reliance - gigante indiana que atua na área têxtil, química e petrolífera. A Jio, operadora da Reliance, começou a operar na Índia em 2016 e tomou uma grande fatia do mercado exatamente pela aposta de Ambani no 4G e na internet Mobile. No meio do seu crescimento exponencial pela Índia, os serviços digitais fizeram diferença. Tanto que levaram à criação da Jio Platforms. Ambani também figura na lista de mais ricos do mundo e é considerado um executivo BEM recluso (ele já passou mais de uma década sem dar entrevistas, para vocês terem uma ideia!). No Ghost de hoje, você conhece as opiniões e as visões deste executivo:   


Mukesh, o que fez você, um homem formado em engenharia química à frente de uma gigante do setor se voltar para as telecomunicações? 

Sempre acreditei que a tecnologia impulsiona os esforços e o progresso da civilização humana. Então, se você perguntar qual é a minha obsessão, é tecnologia. Na década de 1970, era a tecnologia em engenharia química - toda a questão de transformar a Reliance de uma empresa têxtil em uma grande empresa de energia. Éramos os maiores em têxteis na década de 1970. Todos esperavam que eu estudasse têxteis. Eu queria estudar engenharia química, porque pensava que era o futuro.

(...) Acredito que daqui a 50 anos, quando escreverem a história, uma tecnologia que terá mudado a civilização humana será a internet móvel. O mundo não tem dúvidas, que a internet móvel é uma tecnologia que já muda vidas e que ainda vai mudar o mundo neste século. Sim, a internet móvel evoluirá para muitas coisas diferentes. Mas, como tecnologia central, é uma grande oportunidade. E apenas as pessoas que assumem alguns riscos colherão recompensas.

Nos negócios, é sempre bom apostar em um cavalo vencedor. Mas o desafio é ser o primeiro a saber qual é o cavalo vencedor. Vimos a internet móvel como o cavalo vencedor antes de qualquer outra pessoa. A internet móvel conquistou o mundo. As empresas que apostaram na internet móvel foram as que geraram maior valor nos últimos 10 anos. (Entrevista ao Indian Times em 8 de setembro de 2016)

Agora perguntando como empresa, por que uma empresa de petróleo foi se aventurar no mundo de telecom?

Para a Reliance, dados são o novo petróleo e inteligência de dados é a nova gasolina. (Reportagem da agência Reuters de 31 de agosto de 2016

De maneira prática, como foi o nascimento da Jio, o que vocês ofereceram ao mercado?

Construímos uma rede totalmente IP, apenas LTE, 100 por cento VoLTE (voz sobre LTE) baseada na Internet.

Trabalhamos com todos os fabricantes de dispositivos para reduzir os preços dos dispositivos. Três ou quatro anos atrás, as pessoas diziam que os telefones 4G custariam  30.000 rupias. Agora, fornecemos um preço básico com nosso dispositivo JioFi em apenas 1.999 rupias e com nossa popular marca LYF de smartphones em apenas 2.999 rupias.

Construir esse ecossistema leva tempo e paciência. Todo o ecossistema de conteúdo que criamos também leva tempo. A consideração mais importante era que tudo isso tinha que funcionar sinergicamente em conjunto.

Tivemos que testar ativamente tudo isso. Escolhemos estar na vanguarda da tecnologia. Só então seríamos capazes de repassar todos os benefícios aos clientes indianos. Hoje, todo mundo vende dados a US $ 10 / GB. Essa taxa, com paridade de poder de compra, simplesmente não faz sentido. Portanto, reduzimos para menos de um dólar. Tivemos que passar por esse processo. (Entrevista ao Indian Times em 8 de setembro de 2016)

Você falou sobre criar um ecossistema, e, fala para a gente, vocês também fizeram um ecossistema de aplicativos e serviços digitais para junto do seu negócio. Por quê?

Quando juntamos as quatro coisas: conectividade, computing, informação e software, a performance de preço de tudo muda. É por causa destes quatros princípios que o Uber é a maior empresa de transporte sem ter um carro ou motorista. Ou o Airbnb é a maior empresa hoteleira sem ter um único quarto. Acredito que estamos ainda no começo na combinação de expertise e user experience, é como a combinação das partes esquerda e direita do cérebro.

Construímos uma grande infraestrutura digital e agora precisamos construir serviços digitais, o que é uma questão de ideias. O que precisamos é elevar o padrão de execução e entrega na Índia. Vamos oferecer aos jovens a melhor infraestrutura, os melhores protocolos e acesso a um grande mercado conectado. Eu acho que nossa juventude não é menos para seus colegas em outros lugares, mas eles não tiveram oportunidades. Em nossos pólos de empreendedorismo, estamos convocando esses jovens empreendedores para resolver os problemas das pessoas, pequenas empresas, governo e da sociedade em geral. Queremos fornecer o ecossistema e definir novos padrões de execução, o que é mais fácil em um mundo conectado.? Esses negócios serão deles. Faremos parceria com eles dependendo de suas aspirações.

Pense no WhatsApp, era uma equipe de 12 pessoas, que mudou o mundo da comunicação por texto, que antes era totalmente propriedade de empresas de telecomunicações. O mundo inteiro está se movendo para colaboração e parcerias, ninguém pode ficar sozinho. (Entrevista ao Indian Times em 8 de setembro de 2016)

Quando você usa exemplos como Uber e Airbnb, fica parecendo até que a Jio não é uma operadora, o que acha sobre isso? 

Então, a Jio não é realmente uma empresa de telecomunicação. É uma empresa de tecnologia. (Entrevista ao Indian Times em 8 de setembro de 2016)

Já em 2017, depois de começar a operar unicamente do 4G como você comentou, a Jio se lançou em uma outra empreitada: o JioPhone. Um feature phone que se conectava à internet, e tinha aplicativos - alguns do seu próprio ecossistema de apps. Qual foi o racional por detrás deste lançamento?

É injusto e irônico que 50 milhões de indianos que têm telefones convencionais paguem mais por chamadas de voz e SMS do que aqueles com smartphones. Eles acabam gastando o orçamento mensal de telecomunicações de 150 rupias a 200 rupias apenas para obter 150 minutos de voz, enquanto seus equivalentes de smartphones na rede Jio obtêm voz de graça ...

Se esses usuários de feature phone consumissem uma quantidade de dados semelhante à dos usuários de smartphones, eles gastariam mais de 4.000 rupias por mês com as taxas de dados 2G vigentes. Isso torna impossível para eles sequer pensar em usar dados, muito menos aproveitar serviços de dados avançados como videochamada, vídeo móvel e aplicativos móveis.

Mesmo um smartphone básico custa entre 3.000 rupias e 4.500 rupias, tornando inacessível para usuários de telefones convencionais fazerem a atualização para um smartphone. Simplesmente não podemos ficar de braços cruzados quando uma proporção tão grande de nossos concidadãos não consegue participar da revolução digital que está varrendo o país.

Este é o problema mais crítico para eliminar a exclusão digital. (Apresentação aos investidores em 21 de julho de 2017)

No ano passado, a Jio foi além e dividiu suas operações digitais em uma empresa única. Quais são os pilares principais de crescimento da empresa?

Existe uma filosofia que move as iniciativas da Jio que é acreditar que a revolução digital será a maior e mais disruptiva transformação na história da humanidade. Comparável apenas com a aparecimento de seres humanos com habilidades e inteligência em nosso planeta há 50 mil anos.

É comparável porque agora, o ser humano está conseguindo incluir uma inteligência sem limites ao seu redor.

Nosso mundo mudará de forma mais irreconhecível em apenas oito décadas restantes do século 21 do que o mundo de hoje mudou desde o que era há 20 séculos.

Para isso, todo o nosso pessoal e todas as nossas empresas devem ser capacitados e capacitados com a infraestrutura e os recursos de tecnologia necessários. Esse é o propósito da Jio.

A visão da Jio se baseia em dois pilares: conectividade digital. E plataformas digitais. (Discurso aos acionistas em 16 de julho de 2020)

Quando você fala “plataformas”, isso também inclui um sistema operacional, não é mesmo? É uma evolução da nossa estratégia do JioPhone. Apesar de a gente já ter vendido mais de 100 milhões de JioPhones até hoje, existem muitos usuários de feature phones que estão esperando para fazer um upgrade para um smartphone, mas ainda estão esperando este aparelho ficar mais barato.

Nós vamos criar um smartphone “de entrada” para 4G ou, até mesmo, um 5G, por uma fração do custo de um smartphone hoje em dia.

Mas, para dar o poder a este tipo de smartphone, nós também precisamos de um sistema operacional bem construído, e tal OS deve ser desenhado com o usuário indiano em mente.

A Google e a Jio fizeram uma parceria para criar um sistema operacional baseado em Android próprio para estes smartphones.  (Discurso aos acionistas em 16 de julho de 2020)

A Índia entrou na rota das discussões sobre inovação, assim como a China. Por aqui, já falamos com alguns executivos chineses, e já sabemos das particularidades deste mercado. A nossa última pergunta é exatamente sobre as particularidades do mercado indiano, conta um pouco para  a gente.

A Índia que você verá em 2020 é diferente de qualquer outra, em qualquer outro ano. Nós temos milhões de pessoas andando nas ruas, cada uma delas com as suas próprias experiências pessoais com seus celulares. As redes móveis na índia estão melhor agora e estão já em pé de igualdade com os pares do mundo. Isso é uma grande mudança. 

Se você pensar em sua própria jornada e pensar em 1992, a Índia era uma economia de US $ 300 bilhões e hoje a Índia tem US $ 3 trilhões. Fundamentalmente, todo esse progresso de uma certa forma aconteceu nas costas da tecnologia. No início, foi a Tata Consultancy Services, a Infosys e todos eles que impulsionaram a tecnologia na Índia e que realmente deram o pontapé inicial em todas as reformas econômicas, deram início a todo esse paradigma de crescimento.

Em 2014, começou a ter uma nova visão, da “Índia Digital”. A Jio fez parte desta mudança. Só para você ter uma ideia, pré-Jio, tínhamos 256 kbps de velocidade na internet banda larga na Índia, e pós-Jio, agora temos 21mbps de dados móveis como a velocidade média disponível em cada vila na Índia. Antes de Jio, o preço dos dados neste país estava entre 300 rupias e 500 rupias Post-Jio, o preço está entre 12 rupias e 14 rupias o GB.

O uso e muito do que a Jio alcançou 380 milhões de clientes nos últimos três anos, todos eles migraram para esta tecnologia 4G e isso mostra o entusiasmo na juventude da Índia, o entusiasmo no consumo na Índia e o entusiasmo até na minha mãe que tem 85 anos e a quantidade de tempo que ela passa. Então, no seu idioma, ela tem a maior intensidade tecnológica. Então, eu acho que realmente foi isso que aconteceu. Então, o consumo também aumentou e isso realmente se tornou um movimento popular.

Então, o que aconteceu é que, por termos infraestrutura, estamos acelerando e estamos apenas no início de toda essa jornada. (Apresentação no Fireside Chat com Satya Nadella em 25 de fevereiro de 2020)

MATERIAIS GRATUITOS

MORSE YEARBOOK

Veja o que o futuro da tecnologia mobile reserva para os próximos anos.

RECEBA NOSSO CONTEÚDO