Oi, Disney e Tik Toks miram Ads

Oi lança plataforma de advertising Mobile, Oi Ads (Meio & Mensagem) A Oi Ads será o espaço de venda de mídia e soluções nos canais digitais da operadora. O serviço irá integrar as divisões de big data e analytics da companhia, com a proposta de oferecer aos anunciantes soluções segmentadas para atingir o público de acordo com a proposta e objetivo de cada campanha. Lembrando que a Oi já é parceira da Hands em soluções de data insights e ativação de mídia através das soluções de GeoBehavior e Push Notification


Disney planeja criar plataforma unificada de Ads Digitais (AdExchanger) A dona do Mickey acabou de finalizar a fusão de todos os produtos e funcionários de adtech da Hulu com os seus próprios. A ideia é que a empresa tenha um espaço só para vender e gerenciar mídia em seus serviços de streaming e serviços digitais.


TikTok deverá ter US$ 500 milhões de receitas com ads só nos EUA em 2020  (The Information) O aumento exponencial de downloads do aplicativo durante a pandemia, a expansão internacional e o fato de o app agora ter um ex-Disney como CEO ajudam a ganhar confiança de marcas para investirem em publicidade. A ByteDance somou receita de US$ 5,6 bilhões no primeiro trimestre deste ano, inclusive. Durante a quarentena, os usuários brasileiros do aplicativo aumentaram o tempo médio que passam vendo vídeos de 30 minutos para uma hora por dia. 


União Europeia começa a investigar práticas da App Store (Wall Street Journal) A Comissão Europeia iniciou inquérito para entender se a Apple tem práticas anticompetitivas nas regras da App Store. A loja de apps do iOS também entrou numa grande controvérsia na semana passada ao barrar o aplicativo “Hey”, que cria uma caixa inteligente de e-mails. O CTO da Hey replicou chamando-os de “gangsters” (ouch!). Já o Match Group, dono do Tinder, engrossou o discurso contra as taxas e práticas da App Store. Enquanto isso, o presidente da Microsoft, Brad Smith, afirmou que é hora dos reguladores discutirem sobre as regras das lojas de aplicativos, já que elas “cobram um grande valor pelo pedágio” de desenvolvedores de software. 


Apple rejeita aplicativo de Gaming do Facebook na AppStore  (New York Times) Briga entre grandes, a dona do iPhone já negou o aplicativo de jogos do Facebook de entrar na App Store cinco vezes. Para a empresa de Cupertino, o Facebook Games funciona como uma “loja de aplicativos de games”. A pergunta que fica é: qual será a resposta da Apple quando apps começarem a ter mini-programs, como o Snapchat?


Google vai liberar que apps vendam sem necessidade de download (The Verge) Na nova versão do Android, a companhia está testando liberar alguns desenvolvedores de venderem assinaturas sem que o usuário precise, primeiro, baixar o app. A transação seria feita já na própria Play Store. A ideia é aumentar os “testes de graça”.  


Sem alardes, Google lança plataforma rival ao Pinterest (The Verge) Chamado Keen, site tem um mecanismo de entendimento de imagens parecido com o do Pinterest. A ideia da plataforma é ter um algoritmo de machine learning capaz de curar conteúdo.


Uber começa a vender software para agências de transporte público nos EUA (Bloomberg) A empresa  já fechou a venda do licenciamento do uso do seu software que comanda o aplicativo  para o condado de Marin, na Califórnia. Chamado Marin Connect, o programa vai custar US$ 80 mil, disse Nancy Whelan, gerente geral da agência de trânsito do condado de Marin. A parceria também vai fornecer descontos e vouchers no app do Uber. Segundo executivo do app, David Reich, este não é um negócio pontual e a empresa vai iniciar a venda massiva do programa para o poder público, “é uma nova linha de negócios”. 


Shopify firma parceria com Walmart nos Estados Unidos (Bloomberg) Clientes da startup de vendas passarão a usar o marketplace do gigante do varejo, que vai expandir seu marketplace acrescentando os vendedores individuais da Shopify. Com isso, a varejista entra em briga direta com a Amazon - e ganha escala no negócio da venda de produtos de terceiros no e-commerce. 



Pão de Açúcar expande James Delivery (Neofeed) Na esteira da pandemia, o Pão de Açúcar acelerou os planos de expansão do James Delivery de 18 para 25 cidades do País. Além disso, passou a oferecer mais serviços de entrega de farmácias, se beneficiando da parceria do GPA com a Raia Drogasil - feita no ano passado, para criar a Stix. 

Unilever vai abrir uma franquia de lavanderias no Brasil (Reuters) O conglomerado comprou 123 lojas do Grupo Acerte e vai lançar lavanderias self-service e outras com serviço de lavagem de tapetes pelo Brasi. O serviço será da marca Omo e poderá ser encomendado por meio de um aplicativo - que também contará com sistema de pagamento embutido. 

Transações financeiras no mobile crescem 41% em 2019 (MobileTime) De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), houve também aumento de 66% em contas digitais abertas unicamente por uma operação via celular. A Febraban ainda indicou que os correntistas de bancos móveis são mais “fiéis” a um único canal e acessam quase duas vezes mais a conta do que um cliente de banco regular. 

Globoplay virá pré-instalado em nova linha de TVs da Samsung (G1) A partir de parceria entre as empresas, o aplicativo de streaming da Globo, virá pré-instalado na nova linha 2020 de televisores da Samsung. Um botão do controle remoto dará acesso ao conteúdo do Globoplay - o que permitirá, a quem assiste TV Aberta, ter o conteúdo "híbrido". 


Facebook compra empresa sueca de mapeamento (Reuters) Mark Zuckerberg adquiriu startup Mapillary, que coleta imagens de milhares de colaboradores para criar mapas imersivos e atualizados. A Mapillary fornece as imagens através de crowdsourcing, com usuários contribuindo com fotos de smartphones e outros tipos de câmeras, e usa a tecnologia de “visão computacional” para juntar as fotos em um mapa tridimensional.

MATERIAIS GRATUITOS

MORSE YEARBOOK

Veja o que o futuro da tecnologia mobile reserva para os próximos anos.

RECEBA NOSSO CONTEÚDO