PAPO MORSE #1 | Marco Frade



Convidado do Papo Morse:

Marco Frade - Head de Digital, Media e PR na LG Eletronics do Brasil



Como o assunto inovação é tratado na sua Empresa e departamento?

MF: É complexo pensar em inovação em uma empresa coreana, que tem uma disciplina de tradição militar, mas que apesar de sua cultura precisa sobreviver justamente de inovação tecnológica. Então precisamos dividir o que é inovação tecnológica nos equipamentos da empresa e o que é inovação em processos, sejam eles de administração, finanças ou marketing.

Como a inovação acontece na sua área?

MF: Falando especificamente do Marketing, a inovação é bem limitada por processos globais, muito comuns em empresas cujo headquarter fica no país de origem. A subsidiária é vista apenas como uma unidade de vendas e resultados imediatos.


Nesse sentido, é preciso criar e difundir na equipe de trabalho uma cultura de contribuição que ultrapasse os limites da adequação exigida para se cumprir as tarefas determinadas pela companhia. 


Estimular para que a equipe possa pensar fora da caixa e inovar em processos será sempre uma necessidade das lideranças da empresa. Elas precisam ser inspiradoras, para que o time cresça junto e traga novos olhares sobre o papel de cada um na equipe e na agregação de valor tangível para a empresa.

Falando sobre esse cenário de mudanças no marketing, qual é o papel dos dispositivos móveis?


MF: Para o marketing da LG, os dispositivos móveis têm papel preponderante. Primeiro, porque fazem parte do portfólio da empresa, e o tempo todo olhamos para o que é 1) inovação; 2) mais do mesmo; e 3) aquilo que tem potencial disruptivo. Os devices da companhia precisam acompanhar as tendências do mercado global e se adequarem à realidade brasileira, que apresenta custos de produção complexos e mercado de consumo volátil.


Em segundo lugar, porque a consideração da marca que é feita em nossas plataformas encontra nos dispositivos móveis mais de 70% de seu tráfego, algo que sobe de volume a cada mês. 


Portanto, temos um olhar muito cuidadoso sobre os conteúdos gerados para as nossas plataformas, que precisam estar preparadas para os hábitos dos usuários, que passam pela celeridade de troca de páginas vistas, reconhecimento imediato de mensagens e ressignificação do conceito criativo na construção de imagem e informações dos nossos produtos.


"É nos dispositivos móveis que o consumidor consegue interagir com as nossas marcas e nossos produtos, bem como demonstrar intenção de compras que vão se consolidar no varejo, seja físico ou e-commerce. Portanto, temos um olhar muito cuidadoso sobre os conteúdos gerados para as nossas plataformas." - Marco Frade.


No que diz respeito a uso de dados, qual é a principal aplicação no dia a dia de vocês?


MF: Usamos dados de forma consciente e com a máxima permissão possível dos usuários dos nossos devices móveis. Estabelecemos uma relação de confiança que começa com a experiência da compra dos smartphones LG e da continuidade do uso e de novas descobertas das possibilidades que o usuário terá em sua jornada diária com esses aparelhos em suas mãos. Coletamos dados que sejam previamente autorizados para que possamos melhorar sempre essa experiência, criar loyalty e oferecer uma relação saudável, amigável e positiva com os nossos clientes.


Os dados disponibilizados, sempre com permissão prévia, são incluídos de forma criptografada em um banco de dados que usamos para melhorar a inteligência de mídia da companhia, conhecendo os hábitos de consumo e de lazer dos diversos públicos com os quais a LG estabelece uma relação. 


Esse banco é a base para ativarmos nosso CRM de maneira ativa ou mesmo para incrementar a assertividade com a qual enviamos mensagens publicitárias ou de caráter informativo para esses usuários.



Tem algum case interessante para dividir com a gente?


MF: Sim. Recentemente, incluímos em nossa estratégia de mídia Always On um step que envolve dois dos nossos fornecedores trabalhando de forma combinada, para que acelerar a tempestividade dos interesses do usuário pela marca e pelos nossos produtos.  A primeira fase de contato começa com uma estratégia de push notifications enviadas pela Hands para a base de dados dessa empresa, se aproximando ao máximo do perfil dos usuários que já conhecemos e acumulamos em uma DMP própria.


O clique desse indivíduo nessa peça de mídia leva para um microssite mobile que oferece duas opções: achar uma loja física dos nossos produtos por uma estratégia geolocalizada de traçar rotas ou seguir navegando pelo microssite para ter maior contato com as informações de produto e, no máximo em dois cliques, chegar a um botão de “onde comprar” o produto pesquisado.  


Ao longo de toda essa jornada, o nosso fornecedor de AdServer capta as informações de cada step do usuário por tags nas peças de mídia e o no microssite mobile dividindo-as em três segmentos de público: quem foi ao traçar rotas procurando uma loja física; quem navegou pelo site, mas não clicou no botão de “onde comprar”; e quem efetivamente clicou no botão de “onde comprar” e continuou sua jornada por um dos varejistas parceiros da LG. Instantaneamente, a SizMek já dispara uma mensagem de retargeting com conteúdos diferentes para cada um desses três grupos de usuários.


O resultado é que temos um aumento significativo de retorno ao microssite e cliques no botão de “onde comprar” mesmo daqueles usuários que somente fizeram o caminho de “traçar rotas” para uma loja física. 


Toda essa estratégia somente é possível com o uso de dados trabalhado de forma correta e com aprendizados contínuos que aumentam a eficiência do remarketing a cada ciclo. 

MATERIAIS GRATUITOS

MORSE YEARBOOK

Veja o que o futuro da tecnologia mobile reserva para os próximos anos.

RECEBA NOSSO CONTEÚDO