PAPO MORSE #3 | Cesar S. Cesar



Para a edição de hoje, batemos um papo com:

Cesar S. Cesar - Chief Product Officer, Catho/Seek Group

Como o assunto inovação é tratado na sua Empresa?


​Cesar: Estamos investindo muito em tecnologia e produto para modernizar todo o portfólio da Catho. Somente neste ano, realizamos mais de RS 10 milhões adicionais de investimento e aumentamos em mais de 50% o número de equipes focadas no setor.


Alguns times localizados em nosso prédio estão focados na criação de produtos adjacentes aos que temos atualmente. E outros colaboradores, da área de desenvolvimento de novos negócios, estão alocados no Catho Product Lab. O nosso laboratório de novos produtos funciona como um coworking, operando de forma autônoma dos processos corporativos adotados pelo restante da empresa.


A vantagem dessa gestão separada é que o Catho Product Lab consegue aproveitar melhor a oportunidade de estabelecer networking com o ecossistema de startups, além de ficar de olho na possibilidade de investirmos em empresas que possam somar ao trabalho que fazemos por aqui.



-> Boost inovativo <- Destinar recursos para a criação de novas iniciativas é uma prática cada vez mais adotada no Brasil. De acordo com a 3ª edição do  anuário do Valor Econômico, o percentual de empresas que investem mais que 5% da receita líquida em Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) aumentou de 20% para 24%.



Qual é o papel dos dispositivos móveis?

Cesar: Pensar primeiro em mobile é uma regra. Atualmente, mais de 50% dos acessos aos nossos produtos são realizados através de dispositivos móveis, tanto por candidatos quanto contratantes.


-> Brasil s2 Mobile <- O acesso via dispositivos móveis já é uma realidade no país. De acordo com a pesquisa divulgada pelo IBGE-PNAD, o smartphone está presente em cerca de 97% das residências que possuem acesso à internet. E, desse total, o celular é o único equipamento de conexão de quase 39% das casas consultadas.

Qual é a principal aplicação do uso de dados no dia a dia de vocês?


Cesar: Nosso principal objetivo é realizar o encontro entre candidatos e contratantes. O uso de dados é fundamental para nossos algoritmos de inteligência artificial e machine learning aprenderem as características, objetivos e preferências de cada usuário.Dessa forma, conseguirmos proporcionar o match perfeito tanto de quem está em busca de uma nova oportunidade de trabalho como para quem necessita de um profissional com qualificações específicas.



-> Os dados são pop <- A ciência de dados é uma tecnologia que recebe cada vez mais atenção — e investimentos — nas empresas. As receitas mundiais para big data e análise de negócios atingiram US$ 150,8 bilhões em 2017, um aumento de 12,4% em relação a 2016, de acordo com a IDC . E as compras comerciais de hardware, software e serviços destinados a suportar big data e analytics deverão ultrapassar US$ 210 bilhões este ano.



Existe um case interessante que resuma os itens acima?


Cesar: Posso citar nosso sistema de busca de empregos. Ele consolida todas as funcionalidades que mencionei acima e define bastante os últimos esforços que fizemos nesse quesito. A nova ferramenta de busca já está presente em nosso site e, em breve, estará em nosso novo aplicativo.



-> É responsivo que chama <- Desenvolver um site que ofereça os mesmos serviços tanto no desktop como via smartphone já é uma característica que pode definir o crescimento de uma empresa. Segundo a PwC, em 2017 os brasileiros fizeram mais compras utilizando a internet móvel do que a banda larga fixa.

MATERIAIS GRATUITOS

MORSE YEARBOOK

Veja o que o futuro da tecnologia mobile reserva para os próximos anos.

RECEBA NOSSO CONTEÚDO