PeG, Apple e Microsoft ganham espaço

/What's Up? O que agitou os últimos dias em nosso mercado

01/ P&G testa sistema chinês “alternativo ao IDFA” Lembra do CAID? A tecnologia que os desenvolvedores de apps chineses criaram para poder substituir o identificador de usuários para ads da Apple? A P&G ajudou a formular! De acordo com o Wall Street Journal, a empresa se juntou à ByteDance e outras para testar a tecnologia de “device fingerprinting”.

02/ Digital Ads crescem 12% em 2020 para US$ 140 bilhões Dados do IAB mostram que mesmo com a pandemia o mercado mundial acelerou em ads digitais! No quarto trimestre do ano passado, a alta foi de 29% com gastos em ads digitais, para US$ 45,6 bilhões. E, dos US$ 140 bilhões gastos no ano passado, 70% foram gastos em ads mobile.

03/ Apple vai chegar no seu celular (mesmo se ele não for da Apple!) Ao mesmo tempo em que trabalha para aumentar o seu Walled Garden, a Maçã acaba de expandir os seus serviços de app. A empresa lançou o Find My Certification, um aplicativo que, num primeiro momento, permite a interoperabilidade do app “Find my Phone” com outros dispositivos. Eles lançaram também a possibilidade de rastrear outros aparelhos como bicicletas e fones de ouvido wireless. Segundo especialistas, isso sinaliza que a Apple pode anunciar um programa para terceiros usarem o Find my Phone em seguida. Ou seja, a Apple está prestes a captar dados de localização de outros smartphones com o seu app. Movimento interessante no #DataWar pois até então a Apple era a única Big Tech que vinha criando regras para bloquear os acessos aos dados de seus aparelhos, mas sem sofreram os efeitos colaterais, como o próprio Google, que vem restringindo acesso aos dados do Android mas ao mesmo tempo tomando as restrições de seus Apps na Apple. O que podemos dizer sobre isso? “Apple, you are welcome to walk on our shoes”.

04/ Microsoft pode comprar Nuance, de reconhecimento de voz, por US$ 16 bilhões A companhia de Satya Nadella está em conversas para compra da Nuance, uma empresa que vende ferramentas para reconhecer e transcrever áudio de atendimento ao cliente. Essa plataforma é amplamente usada pelo setor de saúde nos Estados Unidos. O movimento pode fortalecer o segmento da Microsoft voltado para as empresas e para Governo. Caso ocorra, a transação pode ser a segunda maior compra da Microsoft, só perdendo para o LinkedIn.


/Following Up Novidades dos assuntos que já temos acompanhado por aqui

05/ Amazon Ads passa dos 10% do mercado de ads digitais nos EUA A área de advertising da Amazon se consolidou como terceiro player do mercado de ads nos EUA mesmo! Dados do eMarketer mostram que, em 2020, a Amazon Ads concentrou 10,3% das receitas em ads digitais nos EUA, em 2019 a sua fatia era de 7,8%. O crescimento veio, principalmente, a partir de uma fatia do Google, que passou de 31,6% para 28,9% do gasto no mercado. Outro ponto que o eMarketer mostrou é que houve um aumento grande no segmento de search ads por parte da Amazon, que foi o segundo maior player de receita nesse segmento, só perdendo para o Google.

06/ Clubhouse aposta em ferramenta de gorjeta para criadores O app agora permite que os usuários paguem uma caixinha, em dólares, aos criadores e moderadores das salas; ah, mesmo estando num ambiente mega competitivo, o CH está levantando investimento e chegou a um valuation de US$ 4 bilhões. Na mesma semana, ficamos sabendo que o Twitter estava em conversas para comprar o aplicativo de voz por algo próximo desse preço… e falamos disso por aqui. Ah, ainda no assunto, o Facebook está testando Hotline, um possível concorrente ao CH, mas usando vídeo.


/Coming Up Radar do Morse sobre novas tendências, produtos e serviços

07/ Spotify lança assistente de voz Usuários do app em Android agora conseguem pedir músicas para o Spotify em voz alta, que o aplicativo toca. Essa feature é ligada a uma assistente de voz interna do app, e não do Google Assistant. Ironicamente, o app de streaming de música lançou a feature meio silenciosamente, já que ainda está testando algumas possibilidades de comandos.

08/ Um plano de telefonia de graça em troca de ads?! A operadora móvel brasileira Veek lançou um plano de celular de 1GB de internet, ligações ilimitadas e mil SMS por mês de graça. Em troca do plano, o usuário precisa ver anúncios no smartphone. O usuário garante a sua navegação na web vendo anúncios no aplicativo da Veek. Esse modelo poderia migrar para fabricantes, não?!

09/ Dark Kitchen é coisa do passado, a moda agora é Dark Stores A Rappi lançou a modalidade da “dark store”, ou seja, uma loja que não tem um espaço para a gente ir e entrega apenas via delivery. Se você é fã da gente (primeiro, obrigado!), sabe que falamos sobre o assunto há uns bons dois anos! Mas a ideia da Rappi com as dark stores é começar a liberar as entregas o mais rápido possível - eles dizem que em 10 minutos! A Rappi projeta ter 60 dark stores no Brasil ainda no primeiro semestre e 100 até o final do ano.

10/ Signal testa ferramenta de pagamento com criptomoedas Na semana passada comentamos que o WhatsApp vai permitir transações financeiras aqui no Brasil, e, bem, o app rival do Whats, o Signal, também começou a testar com o modelo financeiro. Com a diferença que o Signal, sobre o qual já falamos aqui no Ghost Interview, está testando com criptomoedas, mais especificamente a MobileCoin. A feature está funcionando no Reino Unido, mas deve ser ampliada para outros países.

11/ Publicis faz acordo com The Trade Desk para fornecer “novo cookie” A parceria foi firmada a partir da Epsilon, a empresa de dados da Publicis. A partir do acordo, a Publicis passa a usar a ferramenta Unified ID 2.0, da The Trade Desk (que promete ser uma alternativa ao cookie), e, em troca, a Trade Desk vai dar acesso à sua plataforma de ads digitais para os clientes da Publicis. Dessa forma, a francesa foi a primeira grande do setor a apoiar os “novos cookies”.



/Fighting Up Update dos movimentos das big techs, concorrentes e reguladores na briga por dados, audiências e capacidade de monetização

12/ EUA x Facebook: a briga continua A Federal Trade Comission (FTC, responsável pela regulamentação de telecomunicações norte-americana) pediu para que a Justiça dos Estados Unidos continue com o processo antitruste. Há um mês, o Facebook pediu para que o processo fosse paralisado. Em documento enviado à Washington, a FTC disse que “não é bem assim”. “O Facebook detém poder do monopólio sobre os serviços de redes pessoais nos Estados Unidos e está violando as leis antitrustes ao manter seu monopólio através de outros meios que não a competição pelo mérito”.

13/ Amazon entra na rota do processo por monopólio nos EUA Algumas associações de pequenos lojistas e marcas norte-americanas estão se juntando para peitar a Amazon. Esses grupos estão exigindo que o governo federal dos Estados Unidos proíbe a empresa de Jeff Bezos de vender produtos próprios dentro do e-commerce, o que pode enfraquecer a competição. Ou seja, é bom já ter no nosso radar que algum processo contra a Amazon pode rolar...

14/ Alibaba recebe multa de US$ 2,8 bilhões do governo chinês A gigante de e-commerce foi acusada - e multada - por monopólio. O governo da China impôs multa após investigar atividade da empresa com relação aos comerciantes menores, segundo o órgão antitruste chinês, a Alibaba impedia pequenos varejistas de vender produtos em outras plataformas digitais. Apesar de alta, perto de US$ 3 bilhões, a multa é equivalente a 4% das vendas do Alibaba na China em 2019.



/Cashing Up Deals que movimentam o mercado*

*(O Cashing Up é apoiado por Divibank, uma solução inovadora e criativa para empresas em busca de financiamento com foco em growth)

15/ Salesforce investe US$ 40 milhões em plataforma de envio de SMS, Community A Community já é investida pela Twilio, pela Live Nation e pela Sony. O que a plataforma habilita é a comunicação via mensagem para os usuários, e, nos Estados Unidos, ela tem sido usada para os fãs de esportes! Todas as mudanças que nós falamos por aqui, de cookies e de IDFA, tem levado as empresas a focar mais e mais em formas mais diretas de se comunicar com seus consumidores. Aqui no Brasil, a Wavy, que faz entrega de SMS, foi comprada pela Sinch no ano passado.

16/ B2W compra plataforma de delivery de alimentos Shipp A dona da Americanas comprou a Shipp, startup de delivery de alimentos, e a Packk, que faz um “white label” de entregas para grandes empresas, ambas startups do grupo Sapore, dona da Zaitt. No ano passado, a gente conversou com o CEO da Shipp e da Zaitt, Rodrigo Miranda, no MorseCast, vale escutar aqui esse papo, e ele comentou sobre o futuro da entrega e como os dados de lojas autônomas podiam mudar tudo para o varejo.

17/ Magalu compra SmartHint, para otimizar busca em e-commerce A SmartHint é uma plataforma de busca inteligente e recomendação para e-commerce, que usa inteligência artificial para permitir busca por voz e por imagem - além de deixar a área de busca mais otimizada até para termos escritos errado. A gente parou para contar: essa é a quinta aquisição da Magalu apenas neste ano!


MATERIAIS GRATUITOS

MORSE YEARBOOK

Veja o que o futuro da tecnologia mobile reserva para os próximos anos.

RECEBA NOSSO CONTEÚDO