The Gold Run

A tecnologia pode ajudar um bocado o varejo. Cada vez mais, o uso de dados e de outras inovações se torna fundamental para conseguir se manter no jogo. A corrida pelo ouro é entender como 1) manter as pessoas comprando 2) com satisfação total. Por isso, reunimos aqui alguns cases internacionais sobre como marcas estão usando dados, inteligência artificial e aplicativos online para melhorar o engajamento com o cliente e a experiência de compra. Olha só:


Negócio da ChinaAlibaba e a Valentino se uniram para lançar uma loja de luxo online em 3D para a Luxury Pavilion, a plataforma de produtos de alto nível da Tmall. A loja online será acompanhada por uma loja física pop-up, em Pequim. A experiência visa integrar a presença da marca online e offline para promover a coleção Garavani Candystud. A iniciativa de luxo da Alibaba tem sentido: a proposta é desafiar sua rival JD.com. O grupo é conhecido por parcerias com marcas de luxo, como o site de moda Farfetch.


O problema da loja física Na internet se encontra de tudo, mas nas lojas físicas… sempre fica algo faltando. O conceito de Longtail funciona na internet, mas surgiu justamente pontuando os obstáculos sobre como o varejo físico sofre sem um portfólio completo.


Usar big data, conhecendo melhor o perfil de quem frequenta uma loja, e os concorrentes, para customizar o mix de produtos é uma quebra de paradigma de como uma loja física pode chegar mais perto do famoso “ter de tudo”. 


Tem de tudo, um pouco A H&M está tentando transformar seu grande volume de dados em insights. A ideia é identificar as próximas grandes tendências de moda rapidamente e personalizar as suas lojas em mais 4,2 mil pontos de venda para atender às demandas locais. Em vez de cookies, está usando dados granulares para personalizar ofertas perto do consumidor. 


A lábia do varejo na ponta dos dedosNorth Face está usando AI para vender mais. Com a ajuda de linguagem natural e o Watson, supercomputador da IBM, consumidores encontram o produto ideal. Um app pergunta onde, quando e para quais atividades você pretende usar a roupa. Com base em dados personalizados, ele sugere opções certeiras! Uma das maiores questões que os varejistas estão tentando responder é: como fazer com que os usuários concluam uma compra sem perder o interesse? Estima-se que cerca de 70% dos carrinhos de compras sofram com desistência. Alguém (mesmo virtual) pode ajudar a garantir seu checkout.

MATERIAIS GRATUITOS

MORSE YEARBOOK

Veja o que o futuro da tecnologia mobile reserva para os próximos anos.

RECEBA NOSSO CONTEÚDO