Uber Ads vem aí...


Eles têm uma audiência de milhões de usuários ativos por mês espalhados pelo mundo, contam com dados de qualidade sobre esses grupos de pessoas e ainda têm capacidade de falar com toda essa galera de maneira assertiva. Grandes canais de televisão? Rede de rádio? Redes sociais? Não. Eles são os seus aplicativos preferidos como Uber, Pinterest e Snapchat. E eles começaram a perceber que podem ser tão bons quanto qualquer espaço de mídia - e que esse pode ser um caminho excelente para a diversificação de receitas. 


It’s the economy… 


Se você está sentindo uma coincidência com o assunto do MORSE da sexta-passada, é porque é mesmo. Lá no dia 1, falamos sobre as novas receitas que fabricantes poderiam ter, agora vamos para o outro lado, os apps. Por quê falamos disso? Porque o Uber informou nessa semana que começará a ter uma plataforma de ads própria, começando pelo Uber Eats. Isso porque a empresa percebeu que muitos usuários utilizam o app não só para pedir comida, como também para descobrir novos restaurantes. Com isso em mente, eles vão dar espaço e ferramentas dentro do aplicativo para esses lugares chegarem em novas audiências.


Assim como a notícia coincidiu em timing com a nossa news, ela também veio junto do resultado trimestral no vermelho do aplicativo. No terceiro trimestre, o Uber teve prejuízo de US$ 1,2 bilhão. Para muitos, a saída-para-a-mídia do Uber é uma mostra de que a companhia está procurando novas formas de se pagar.  “Se tivermos todos os restaurantes no marketplace e se dermos para eles ferramentas que os ajudem a crescer, então esse será um marketplace muito mais eficiente. De qualquer forma, eles já iam gastar esses dólares de ads em outro lugar”, disse o diretor e heads do Uber Eats, Stephen Chau ao Techcrunch. 


O poder dos bilhões


Foi exatamente com esse pensamento de “de qualquer forma, eles já iam gastar o dinheiro em outro lugar mesmo” que a Amazon começou a estruturar a sua área de Ads. Afinal, quem vende produtos no site já estava investindo em publicidade digital, por que não fazer tudo no espaço em que os usuários já estão comprando? E, de fato, as empresas estão começando a gastar mais na Amazon Ads. No terceiro trimestre, a área sozinha teve faturamento de US$ 3,59 bilhões, alta de 45% em comparação com o mesmo período de 2018. 


Qual o seu interesse?!


Lá em 2017 o Snapchat começou a facilitar a compra de ads por pequenas empresas e marcas a partir de uma plataforma self-service de ads; na época, houve muita incerteza, já que isso indicou que a empresa estava entrando na “briga” direta com outra grande rede social (aquela lá, sabe). Em 2019, o CEO da Snapchat, Evan Spiegel (inclusive, temos uma Ghost Interview com ele) afirmou: essa foi uma das nossas melhores ações. A área de ads da Snap cresceu 50% no terceiro trimestre deste ano para US$ 442,6 milhões. Já que estamos falando de números, vamos para outro, o Snapchat tem 210 milhões de usuários diários ativos; quando melhorou a sua plataforma de mensuração de ads, não era de se suspeitar que o mercado ia vir. A audiência, afinal de contas, já estava lá - só não estava ativada


Vida longa aos vídeos curtos


Falando em um app de vídeos curtos que é muito utilizado para os jovens e agora está crescendo sua plataforma de ads, impossível não comentar sobre o TikTok. O app da chinesa Bytedance tem crescido em número de usuários de forma explosiva, chegaram aos 500 milhões de usuários mensais ativos. A sua plataforma de ads agora está migrando para um modelo self-service, mas já tem chamado atenção de grandes marcas nos Estados Unidos. 


What else?


Plataformas próprias é uma das saídas dos grandes, mas existem outras formas mais interessantes (e inteligentes) para monetizar um aplicativo via ads (que você pode dar uma olhada aqui). De qualquer forma, parece ser um caminho que o mundo Mobile precisa traçar para atingir a diversificação de receitas necessária. Afinal, “eles já iam gastar os dólares mesmo”, melhor que gastem num espaço só. 

MATERIAIS GRATUITOS

MORSE YEARBOOK

Veja o que o futuro da tecnologia mobile reserva para os próximos anos.

RECEBA NOSSO CONTEÚDO