Um wake up call para as Big Techs

/What's Up? O que agitou os últimos dias em nosso mercado

01/ Morse chegou na TV O Morse deu mais um passo rumo a criar um ecossistema que reúne notícias, tendências, aprendizado e soluções para ajudar empresas a digitalizarem e inovarem: lançamos um programa de meia hora na Claro TV para comentar sobre notícias e tendências de inovação no contexto dos negócios. Tem alguma plataforma ou solução voltada para o público B2B, fale com a gente aqui.


02 /EUA apresenta leis para separar Amazon e outras Big Techs A Amazon, que vai chegar ao posto de maior varejista norte-americano em 2022, pode ser dividida. Pelo menos é o que estão pedindo cinco leis diferentes apresentadas por republicanos e democratas na Câmara dos Deputados dos Estados Unidos. As propostas tornam ilegal “um operador de plataforma possuir ou controlar toda a linha de negócios”. De acordo com o Wall Street Journal, que obteve os documentos, as regras se aplicam para companhias com capitalização de US$ 600 bilhões ou mais e com mais de 500 mil usuários mensais ativos (ou seja, apenas cinco companhias norte-americanas iriam se adequar a esses requisitos). As leis querem impedir que companhias se tornem grandes demais a ponto de usarem sua dominância em uma área para ganhar favorecimento - e até mais dominância - em outras. Mas o NYT já avisa: para passar, os documentos terão que ser aprovados por uma parte substancial dos republicanos, que são resistentes a esse tipo de ação do Estado.


03/ 70% das empresas não definiram quando voltar ao escritório Em pesquisa realizada pela Dimep, 36,5% das empresas brasileiras informaram que ainda não traçaram estratégia para volta do trabalho ao vivo, enquanto 33,7% dizem que não tem data estabelecida, mas que devem voltar ao normal (sem possibilidade de trabalho remoto). O que surpreendeu na pesquisa foi que 20% das empresas informaram que devem seguir com o trabalho remoto, mesmo após o fim das restrições. Nos Estados Unidos, onde a vacinação está mais avançada, já começamos a ver anúncios de empresas de tecnologia para voltar ao trabalho presencial. Só que com algumas mudanças. A Amazon pediu que seus executivos e funcionários trabalhem, pelo menos, 3 dias presenciais; já a Apple voltou atrás na exigência de trabalho presencial a pedido dos seus funcionários. Até o próprio Mark Zuckerberg comentou, nesta semana, que projeta seguir no trabalho remoto até, pelo menos, o meio do ano que vem - o Facebook foi uma das empresas que liberaram o trabalho remoto de vez.


04/ Apple coloca features de rede social no iOS 15 e Facebook reclama No capítulo de hoje das DataWars, mais uma vez, Apple e Facebook trocam farpas. Nesta semana, a Apple com certeza tirou o sono do Mark Zuckerberg com os novos recursos do IOS 15. Mais especificamente o Facetime, que agora vai avançar para celulares alem dos com iOS, o que pode afetar diretamente o Messenger e o WhatsApp, ambos do Facebook. A resposta veio em forma de shade: o Facebook, que está criando formas de monetizar diretamente os criadores de sua plataforma, informou na semana passada que não vai cobrar nenhuma taxa do valor pago aos criadores até 2021. “E quando a gente cobrar, a taxa será inferior aos 30% que a Apple cobra”, continuou Mark Zuckerberg em post na rede social.


05/ Nubank recebe aporte de US$ 500 milhões de Berkshire Hathaway Quem não queria ser notado pelo Warren Buffett? (nota a gente, Warren! A gente até comemorou o seu aniversário). O Nubank não só conseguiu essa atenção como um aporte financeiro da Berkshire Hathaway de US$500 milhões em rodada de série G. A rodada, iniciada em janeiro deste ano, além do aporte do Warren, contou com mais US$ 250 milhões em investimento nacionais e estrangeiros da Sands Capital, Absoluto Partners e Verde Asset. Esse é o maior investimento feito em uma empresa de tecnologia privada da América Latina totalizando US$ 1,15 bilhão. E saibam que o Vale do Silício está de olho na região, principalmente nos segmentos de fintech e varejo - alguns comentam que estão procurando “o próximo Shopify” por aqui.


/Following Up Novidades dos assuntos que já temos acompanhado por aqui


06/ Investimento em ads digitais bombando no Brasil Pela primeira vez, o gasto em ads digitais no Brasil será maior do que o investido em televisão, rádio e OOH. Segundo esse indicador do eMarketer, 43% do investido em mídias no Brasil será para o digital - a TV ficará com 36,3% deste montante.


07/ Microsoft vai transformar XBox em app de TV Já tínhamos comentado aqui que a Netflix estava estudando possibilidades de entrar na era gamer, o que não esperávamos era a Microsoft fazendo o caminho inverso e apostando no streaming de jogos para TVs e mobile. A ideia vai de encontro com o entretenimento interativo e aposta no desapego dos consoles e computadores de última geração. Os jogos serão executados via computação em nuvem por meio de uma TV e transmitidos ao jogador em tempo real via internet. Como se fosse um XBox, só que sem o console.


08/ Twitter colocará um botão “assine a newsletter” O passo já era esperado depois da compra da Revue, que é uma plataforma de lançamento de newsletters, mesmo assim, chama atenção. Agora, os criadores poderão colocar links para assinatura de newsletter diretamente em seus perfis da rede social.


09/ Twitch expande patrocínio de marcas para além do e-sport A Twitch quer expandir seu marketing para além do espaço competitivo do Twitch Rivals. A novidade agora é abrir oportunidades para parcerias em transmissão simultânea de eventos, lançamento de jogos e um segmento no estilo talk show conhecido como The Weekly. Isso está rolando lá nos Estados Unidos mas a ideia é que chegue no Brasil, como falou com a gente Philip Chaves, o country manager da Twitch no Brasil, nesse episódio do MorseCast.


/Coming Up Radar do Morse sobre novas tendências, produtos e serviços

10/ YouTube lança rival do TikTok no Brasil O YouTube Shorts estreia hoje no Brasil. A nova função do app do YouTube disponibiliza formato de vídeos curtos, de até 60 segundos na vertical, com a opção de gravação e edição dentro do próprio aplicativo. Qualquer semelhança com o TikTok não é lá mera coincidência. Mas, segundo o Google, é possível ganhar apelo com o público mais jovem do YT, já que o Shorts permite remixes e colagens de vídeos da própria plataforma.


11/ Carrefour lança app que indica produtos mais saudáveis e baratos A varejista está usando dados para otimizar o tempo dos clientes no mercado. A empresa lançou um aplicativo que sugere produtos mais baratos e com valor nutricional baseado em classificação criada por especialistas do governo francês. A plataforma pretende ser aberta para outros varejistas e os fornecedores menores estão vendo o app como uma possibilidade positiva de comunicação de seus produtos, já que, pensando como marca, é um caminho extra para mostrar o produto além das gôndolas do supermercado.


12/ Tem alguém assistindo? Netflix lança e-commerce A Netflix que viu suas expectativas de assinaturas não alcançando os números esperados por conta da pandemia parte para uma nova forma de monetização: a loja online. Sim, a Netflix abriu um e-commerce para vender produtos baseados em suas produções originais. O nome da nova plataforma é Netflix Shop, mas há quem diga que está mais para lojinha da Disney: com produtos próprios e baseado em obras de ficção. Com o poder de personalização que a Netflix tem, é de se imaginar o tamanho do ganho quando eles também conseguem obter os dados transacionais. Mesmo com essa nova forma de monetização a empresa não exclui a possibilidade de ainda ver sua marca ligada aos games.


13/ Facebook vai lançar smartwatch Não é só de óculos que vivem os projetos de realidade aumentada do Facebook. A empresa irá lançar seu smartwatch até julho do ano que vem, de acordo com o The Verge. O Watch terá duas câmeras e sensores para monitorar batimentos cardíacos, além de dar ao usuário acesso a um grupo de serviços e apps do FB. E, por que câmeras? Para incentivar que as pessoas utilizem o relógio de uma maneira parecida com a que usam os smartphones hoje em dia. Talvez seja um caminho que Zuck resolveu tomar depois de perceber o poder que os criadores de device tem em cima do ecossistema como um todo. Lembrando aqui que recentemente o TikTok atualizou sua politica de privacidade para captura de dados biométricos pela câmera dos smartphones.


14/ Snowflake vai criar um marketplace de dados para ads A empresa quer enfrentar o Facebook e o Google usando o Big Data, mas especificamente, provendo para marcas a possibilidade de trocar e gerenciar dados em um único espaço. A ideia do Snowflake Data Marketplace é ser um espaço para desenvolver aplicativos, websites e serviços, além de ser também uma área para essa troca de informações. Será que esse modelo consegue substituir um Ad ID de uma Big Tech?


/Fighting Up Update dos movimentos das big techs, concorrentes e reguladores na briga por dados, audiências e capacidade de monetização


15/ França multa Google por ação desleal em ads digitais Google vai pagar uma multa de € 220 milhões ao governo francês e se comprometeu a alterar o funcionamento de suas plataformas de publicidade e vendas. A ação ocorreu depois da gigante das pesquisas ser investigada pelas autoridades de concorrência da França sendo acusada de favorecer suas publicidades na plataforma de mídia programática da Big Tech, o Google Ads Manager.


/Cashing Up Deals que movimentam o mercado*

*(O Cashing Up é apoiado por Divibank, uma solução inovadora e criativa para empresas em busca de financiamento com foco em growth)


16/ Buser recebe aporte de R$700 milhões A startup Buser está cada vez mais próxima de se tornar um unicórnio. Em rodada de levantamento de capital liderado pelo fundo de impacto social LGT Lightrock (ex-LGT Lightstone) a empresa captou R$700 milhões, de olho na volta do crescimento do mercado de viagens. Pensando no futuro a Buser pretende aprimorar seu marketplace com a parceria de outros segmentos de mobilidade urbana além dos ônibus de turismo.


17/ Telefônica negocia compra da Tivit A operadora de telefonia está em negociações avançadas para comprar a fornecedora de serviços digitais diversos por um valor de R$ 3 bilhões. A informação é do site Neofeed, que ainda indica que o objetivo da Telefônica é integrar a Tivit à T-Tech, divisão de serviços digitais da telco.


18/ Didi Chuxing pode fazer maior IPO do ano em NY A chinesa dona da 99 entrou com pedido para abrir capital na bolsa de Nova York e já está levantando um burburinho. Isso porque, segundo especialistas, a oferta pode levantar US$ 10 bilhões, o que significa que a empresa quer buscar uma avaliação próxima aos US$ 100 bilhões. O segmento de ride hailing ainda tem energia para levantar tanta grana?


19/ Magalu compra plataforma de processamento de cartões Bit55 A varejista foi às compras novamente, dessa vez foi a Bit55, empresa que tem uma tecnologia própria para processamento de pagamentos de cartões de crédito e débito. Com a compra, a Magalu vai complementar a sua área de fintech, e agora pode oferecer aos clientes a emissão de cartões e o processamento do pagamento. Ficaram perdidos em quantas aquisições a Magalu fez desde o meio de 2020? A gente lembra você: essa é a 18ª.


/Hurry Up

Apple Podcasts vai lançar assinaturas in-app em 15 de junho (The Verge)

Live Commerce alavanca com novos segmentos e ferramentas (Meio & Mensagem)

Outlook vai permitir escrever e-mail por voz (The Verge)

Blackstone compra IDG por US$ 1,3 bilhão (AdExchanger)

BID libera crédito de US$ 2 bi para Brasil investir em conectividade e digitalização (Mobile Time)

Arezzo compra Baw, marca digital de streetwear (Brazil Journal)

Google usa AI para criar seus novos chips de AI (The Verge)

Empresa de games Mobile Vodoo compra startup de marketing Bidshare (GamesPress)

A Apple quer controlar o seu universo?! (Wired)

MATERIAIS GRATUITOS

MORSE YEARBOOK

Veja o que o futuro da tecnologia mobile reserva para os próximos anos.

RECEBA NOSSO CONTEÚDO